Feeds:
Posts
Comentários

Archive for junho \30\UTC 2011

httpwww.flickr.comphotostambako3119372622

Foto tirada daqui.

De acordo com o National Institutes of Health (NIH), um órgão americano do Departamento de Saúde e Serviços Humanos, eu não consumo cálcio suficiente. A minha descoberta começou quando eu estudava tratamentos farmacológicos para osteoporose, osteopenia e osteomalácias.  A professora-Farmacêutica-Clínica-que-saca-muito-de-remédio desenvolvia o assunto com categoria até eu ter um mini-ataque de pânico e pausar a aula com apenas dez minutos.  Levantei e fui pegar um copo de leite para beber.

Porque enquanto ela ia falando, eu fui recapitulando mentalmente o meu consumo diário de cálcio.  Apesar de gostar muito de todos os derivados do leite, inclusive leite puro, eu tenho cer-te-za de que, na média, eu não alcanço a quantidade recomendada diária.  Meu café com leite matinal é sagrado; um iogurte ou um queijinho por dia é certo.  Mas veja bem, um OU outro.  É difícil eu comer mais de três porções por dia.  Chocada.

Foi então que eu lembrei que tomo um multivitamínico diário que CONTÉM cálcio.  Tô bem, eu pensei.  Pausei a aula novamente e fui atrás do pote de vitaminas para checar a quantidade de cálcio por comprimido.  Just in case.  Mas não acreditei no que vi: apenas 200 mg de cálcio, um quinto da minha necessidade diária!!  Voltei para a aula arrasada.  E ao longo da explicação dela, entendi que cálcio é um elemento volumoso e seria impraticável incluir tantos miligramas num único comprimido de MULTIvitamínico.  Seria algo quase contra as leis da física, pense em passar um elefante pelo buraco da agulha.  Pois é, os músculos do esôfago não são tão elásticos assim.

Analisei mais um pouco a minha alimentação e me senti um pouco melhor porque acho que eu me alimento saudavelmente, de um modo geral.  Consegui continuar a aula.  

Daí ela avançou um pouco mais e afirmou com toda segurança que a partir dos 30 anos de idade começa a fase inicial de perda de densidade óssea.  Pára tudo!!!  Além de não estar ingerindo o suficiente, ainda estou perdendo??  Pausei a aula de novo e fui comprar um potão cheio de comprimidos de cálcio. 

Haha, brincadeira! 

Quer dizer, mais ou menos.  Comprei o suplemento de cálcio alguns dias depois de concluir essa aula. Fui atrás do cálcio com vitamina D, pois estudos mostraram que o cálcio é melhor absorvido assim.  E além disso, há evidências de que a suplementação de cálcio sozinho (sem a vitamina D) causa problemas cardiovasculares.  Então procurei um suplemento que já vinha com os dois em um só comprimido!  Ah, e se você estiver pensando em começar a suplementação, lembra na hora de comprar que o cálcio na forma de citrato é mais legal porque não requer uma refeição; já o cálcio na forma de carbonato só pode ser tomado junto da comida.  

Sabe qual a moral da história?  Aproveitar a tenra idade para acumular densidade óssea para a gente não ficar com um saldo negativo no futuro.  A gente acumula até os 30 anos.  Depois, começa a perder gradativamente podendo chegar até 5% de perda por ano após dez anos de menopausa.  A perda de densidade óssea é inevitável com a chegada da idade madura (leia menopausa se você for mulher).  Mas se o organismo estiver bem alimentado de cálcio, a perda de densidade óssea não vai causar transtornos na vida prática.  Ou seja, dificilmente você irá desenvolver osteoporose.

Homens em geral não perdem tanta densidade óssea como as mulheres.  Mas quando um paciente do sexo masculino apresenta um quadro de osteoporose, normalmente é em grau elevado!  Então é importante que seu marido, namorado, irmão e/ou pai também consuma suficiente cálcio por dia. 

Agora as suas chances de desenvolver osteoporose aumentam se você fumar, tiver mais de trinta, beber mais de dois drinks alcóolicos por dia e não consumir quantidades suficientes de cálcio.  A equação já começa no negativo, sabe?  E infelizmente alguns remédios de uso crônico também aumentam a perda de densidade óssa, como anti-inflamatórios esteroidias (prednisone, por exemplo), alguns diuréticos, anticonvulsivos e remedinhos para diminuir a acidez estomacal.

E o serviço de Atenção Farmacêutica termina por aqui, pessoal!  Mas antes, me tira uma dúvida: você consome pelo menos 1000 mg de cálcio por dia?

Ex corde.

Read Full Post »

Todos iguais uns aos outros numa chatice infinita. 

As únicas coisas que mudam são os locais de estudo e os capítulos/tópicos estudados.  Ainda bem que ambos mudam, senão enlouqueceria!

Pulo da mesa da cozinha, para a mesa da sala, para o escritório, para a cama do quarto de hóspedes armando sempre um “circo” com o meu material de estudo.  Parece que enjôo de ficar sentada sempre no mesmo lugar.  Quando começo a me arrastar no mesmo capítulo, é só mudar de ambiente que o negócio flui.  Vai entender!

No quarto com a companhia do Hugo:

Estudando no Quarto _ Ex corde

Mas tem dias que nada ajuda, nem mesmo reza braba.  É quando tomo um banho de molhar a cabeça, visto uma roupa que me faça sentir bonita, cato meu arsenal de estudo e vou toda prosa para a biblioteca.  Lá eu me aconchego num cubículo, ponho meu headset na cabeça e vou à luta.

Essa foto foi há alguns meses no inverno:

Na biblioteca_ Ex corde

E há dias em que o universo não conspira a favor – como hoje.  Então corro para a biblioteca para passar horas e horas assim:

Estudando Ex corde

Minhas canetas:

Canetas _Ex corde

Um dos meus muitos mapas mentais:

Mapa Mental Ex corde

Ex corde.

Read Full Post »

Mapas Mentais

Descobri, depois de velha, que a maneira mais eficaz de estudo para mim tem um nome oficial e é uma técnica já establecida em diversas áreas.  O curioso é que eu desenvolvo essa técnica há algum tempo e nunca tinha lido nada à respeito até recentemente. 

mindmap

Foi então que li na internet que os mapas mentais são úteis para resumir assuntos, consolidar informações vindas de várias fontes de pesquisa, raciocinar sobre problemas complexos e elaborar uma apresentação do assunto de uma maneira que se tenha a visão geral do todo.  E é exatamente por isso que eu acabo sempre nos meus mapinhas quando estou estudando. 

Com eles, eu consigo relembrar sobre um determinado assunto apenas passando os olhos.  Não gasto muito tempo voltando para as páginas de livros ou anotações.  E na hora de prepará-los, eu sempre uso canetas de cores diferentes.  Eu tenho facilidade de associar cores com a matéria, o que me ajuda imensamente a memorizar fatos.  Formatação de letra e de estrutura dos mapas também são super eficazes para mim.  Por exemplo, os nomes de marca de remédios vão numa caixinha retangular enquanto os nomes genéricos correspondentes vão estar num círculo.  Os medicamentos que estão listados entre as 200 drogas mais populares estão em CAIXA ALTA.  Cada classe farmacológica é escrita numa cor diferente e assim vai…

Eu sento para estudar com um arsenal constituído por réguas, marcadores, marca-textos de diversar cores, lápis, borracha, papéis, canetas de todos os tipos imagináveis, porque até o fato de ser esferográfica ou tinteiro ajuda no meu processo de memorização.  Sei que meu marido me considerou meio maluca no início, mas acho que agora ele já se acostumou com o circo que eu armo para estudar.  Ah, porque depois de preparar os meus mapas mentais, eu ainda os coloco em lugares estratégicos para que eu possa “revisar” a matéria enquanto escovo os dentes, bebo água, faço xixi… imagine!

Só que o resultado nunca é tão simpático como a ilustração acima, pois meus mapas são feitos todos manualmente.  Alguns deles acabam ficando super caóticos e quanto mais subdivisões, mais desorganizado eles ficam.  Mas funcionam.  É uma técnica super eficaz para mim.

Aqui estão alguns links sobre a técnica:

Mind Tools (em inglês)

Mapas Mentais

Vídeo sobre como fazer um mapa mental

Mapas Mentais à Venda (é mais produtivo fazer o seu próprio!)

Alguém também utiliza os mapas mentais?  Se não, qual técnica de estudo funciona melhor para você?

Ex corde.

Read Full Post »

* Clique nas fotos para ampliá-las.

Ter o estômago embrulhado nas curvas dos Andes chileno.

Curvas das Montanhas Andinas _ Ex cordes

Sinalização inusitada tentando avisar o que vem pela frente.

Caminho da Montanha Chile _ Ex corde

Parar para recuperar o fôlego e sentir o coração bater super acelerado tentando compensar a altitude e falta de oxigênio das Cordilheiras dos Andes.

Recuperando o olego nos Andes _ Ex corde

As plantações de uvas nas vinículas chilenas.

Vinicola chilena _ Ex corde (2)

Provar uma carbenet sauvignon do pé.

Vinicola chilena _ Ex corde

Provar o gigante carangueijo real da Patagônia chilena chamado centolla.

Centolla_ Ex corde

Molhar os pés nas águas congelante do Pacífico.

Molhando os pes no Pacifico_ Ex corde

Descobrir com a paila marina que o termo “marisco” diz respeito a muito mais outras criaturas marinhas, não se restringindo apenas à camarão e ostras.

Paila Marina Chilena _ Ex corde

Ser apresentada ao pisco sour em grande estilo – pague-um-beba-dois, e beber até perder a linha no Bellavista.

Perdendo a linha com pisco sour _ ex corde

Descobrir que o melhor do famoso bairro boêmio de Santiago é o Patio Bellavista.

Patio Bellavista (2)

Mais do Pátio Bellavista.

Patio Bellavista

Curtir música & dança ao vivo no Pátio Bellavista (porque o lugar vale a pena!).

Patio Bellavista (3)

Comer um tahine de respeito no El Antojo de Gauguin.

Antojo de Gauguin_ Ex corde

Mais uma foto do tahine.

El Antojo de Gauguin _ Ex corde (3)

Namorar num final de tarde em Santiago.

Santiago Chile _ Ex corde

Degustação de vinhos na Concha y Toro.

Concha y Toro _ Ex corde

Ver um Moai verdadeiro sem ir a Ilha de Páscoa.

Moai _ Ex corde

Conhecer a casa de Pablo Neruda em Valparaíso.

Casa de Pablo Neruda _ Ex corde

Ver neve no topo das montanhas andinas em pleno abril.

Valle Nevado Chile_ Ex corde

Vinhos Chilenos.

Vinhos Chilenos _ ex corde

Ver o sol se pôr nas Cordilheiras dos Andes de cima do Cerro de San Cristóbal.

Por do Sol no Cerro de San Cristoval _ Ex corde

Nossa Senhora da Conceição.

Imaculada Conceicao Chile _ Ex corde

Provar mote com huesillos e gostar!

Mote con Uesillo Chile Ex corde (2)
O que é isso?  Chá gelado de pêssego com grãos de trigo.

Mote con Uesillo Chile Ex corde

Conhecer Viña del Mar.

Conhecer Vina del Mar _ Ex corde

E o relógio de flores de Vinã del mar.

Vina del Mar _ Ex corde

Ver leões marinhos tomando banho de sol na costa do Pacífico.

Leoes marinhos no Chile _ Ex corde

Degustar tantos vinhos até não conseguir mais diferenciar uma uva da outra.

Degustacao de Vinhos no Chile _ Ex corde

Reencontrar meus pais e poder fazer isso tudinho junto com eles.

♥♥♥

Ex corde.

Read Full Post »

Suco de Melancia

Metade do meu presente virou suco!

Suco de Melancia

A cor vibrante e o sabor adocicado são quase inacreditáveis.  Quem diria que bater alguns pedaços de melancia no liquidificador dava uma bebida tão refrescante?  Sem nenhum aditivo, nem água.  Não tinha como ficar melhor!

Ex corde.

Read Full Post »

Uma melancia de presente?

Quando Marido foi chegando do trabalho dizendo que tinha trazido uma coisinha para mim, eu imaginei de tudo menos o que eu vi:

Melancia

Achei a situação cômica porque ele realmente me agradou com a surpresinha inusitada.  Será que uma melancia assim, de presente do marido, no final de uma quinta-feira cansada impressionaria outras mulheres?  Ou será que só eu?

Ele ainda completou dizendo que o presentinho era para dar uma forcinha saudável nos meus estudos.  Ah, ele realmente me conhece e sabe como eu tenho pavor das comidas enlatadas/engorduradas/açucaradas que predominam por aqui.  E estudando tanto, não tá sobrando tempo para nada mais elaborado do que abrir a porta do armário e pegar um pacote de biscoito.  Sinto falta de algo mais nutritivo e isso às vezes me dá um mal humor enorme, principalmente durante o chato capítulo de drogas anti-arritmicas.  Como é bom saber que tem uma melancia me esperando para o lanchinho da tarde!

E a tal melancia ainda faz caridades.  Uma parte do lucro das vendas é doado para instituições que trabalham com o câncer de mama.

Melancia (2)

Ele sabe mesmo como agradar uma mulher, ou melhor, como me agradar!!

Hahaha!

Ex corde.

Read Full Post »

A Minha Curiosidade

curiosity

Sou uma pessoa curiosa.  Muito curiosa.  Fui crescendo, me entendendo como gente e percebendo como o meu nível de curiosidade sempre foi maior do que os que me rodeavam.  O meu desejo de saber sobre tudo nunca era alimentado suficientemente, pois sempre tinha algo que eu não sabia e que desejava saber.  E, obviamente, é assim até hoje.

Vejo uma série de vantagens em ser uma pessoa curiosa.  Há um desejo enorme em descobrir que me move.  É legal sentir como posso mover em várias direções quase que ao mesmo tempo.  A leitura é sempre muito prazerosa, pois traz conhecimento que sacia a minha curiosidade sobre os mais diversos assuntos.  Até o estudar acadêmico é legal, pois traz compensações do tipo “knowledge is power”, sabe?  Lembro de um técnico que uma vez me disse adorar trabalhar comigo porque eu estava sempre à frente de tudo.  Quando ele vinha com uma pergunta, eu já tinha a resposta.  É que minhas antenas ficavam sempre ligadas durante o dia de trabalho na farmácia e tudo o que chegava perto dos meus ouvidos, era registrado.   

Mas tanta curiosidade assim também não é bom.  Cansa e desgasta.  Imagina quanta energia eu preciso colocar para manter tantos canais de captação abertos?  Nesse momento tem tanta coisa acontecendo e a minha necessidade de estar completamente envolvida em cada situação é enorme.  Afinal de contas, eu preciso saber o que vai acontecer se eu tomar essa decisão.  Se aquela decisão for tomada, as consequências X, Y e Z vão acontecer.  Estou preparada para isso?  Sim, pois até lá já terei um plano de ataque.  Mas se eu fizer assado, ao invés de frito, sei que vou ter que lidar com as consequências A, B e C.  E assim eu vou analisando todas as possibilidades antes de mover o peão no tabuleiro da minha vida.  É que a minha curiosidade não me permite dar um passo sem saber onde estou pisando.

Funciona perfeitamente bem quando as coisas vão acontecendo aos poucos.  Mas em momentos como este, estou sem conseguir administrar toda a demanda de energia que a minha bendita curiosidade requer.

Muitas coisas estão ficando de lado e parte do processo de aprendizagem é entender que os estímulos & possibilidades são infinitos, mas a energia que alimenta a minha curiosidade não.  É meio frustrante, assim como não conseguir atualizar o blog com fotos de um montão de lugares legais que visitei e coisas bacanas que aconteceram.  Mas é assim mesmo. 

Vou pagando o preço da minha curiosidade gastando até as energias que eu não tenho para dar conta de tudo.  E conforme as coisas forem desacelerando, eu vou voltando com posts mais frequentes.

Ex corde.

Read Full Post »

Older Posts »