Feeds:
Posts
Comentários

Archive for agosto \31\UTC 2011

O Sol do Texas

É verão e por isso os dias têm sido longos!  O sol brilha na máxima potência até umas oito horas da noite.  Ele não pára de brilhar nem quando está se pondo.  É bonito de se ver.  A claridade é muito grande e chega a doer os olhos dos desprevenidos que saem de casa sem óculos escuros.  O céu raramente tem nuvens.  O astro rei está quase sempre brilhando sozinho no palco.  E como brilha!  Dias ensolarados são excelentes para dar uma injeção de ânimo e levantar o astral.  E todos os dias têm sido assim:

Sol de San Antonio_Ex corde

Pena que com o esplendor do sol vem um calor fenomenal!  É, mas não posso negar a beleza dos dias de verão de San Antonio.

Ex corde.

Read Full Post »

Quando a água apresenta alto teor de minerais, ela é chamada de água dura.  Confesso que já tinha esquecido das minhas aulas de química e tive que pesquisar mais sobre a hard water.  Li que o tipo de rocha presente no subsolo vai ser responsável por endurecer a água.  Se houver minérios ricos em cálcio como calcita, gipsita, ou minérios ricos em magnésio como dolomita, a água dos reservatórios da região vai ter muitos cátions (Ca2+ e Mg2+) nadando nela.  Consequentemente a água que chega até as casas também traz muitos minerais, que embora não sejam prejudiciais à saúde, são um pé no saco!

Eu encontrei um mapa que mostra a dureza da água pelas regiões dos Estados Unidos e então entendi porque estou sofrendo sentindo tanta diferença.

Hard Water Map_Ex corde

Fonte: http://www.water-research.net/hardness.htm

Vim de um lugar onde a concentração de cálcio é praticamente zero (área azul mais escuro) e fui para um lugar onde se alcança os números máximos de miligramas de carbonato de cálcio por litro de água (área vermelha).  De um extremo ao outro. 

Embora eu já tinha ouvido falar, eu não fazia a menor idéia do impacto que a água dura causa no dia-a-dia.  Parece que não adianta limpar, pois tudo fica com um aspecto meio “embaçado” que para mim é cara de coisa suja.  Para se ter uma idéia, uma mini-poça de água acumulada ao lado da torneira da pia do banheiro após escovar os dentes recebe um contorno em alto relevo em alguns minutos.  Tenho vivido um pesadelo texano esfregando tudo que vejo pela frente!  O Texas está listado como um dos estados americanos com maior teor de sal na água.  E que saber?  Não adianta esfregar.

Agua Dura _ Ex corde
Essa foto é do vidro do meu carro após ser respingado pela água da mangueira usada para molhar a grama.  Quando o sol bate, fica difícil de enxergar com nitidez.  É o tal do cálcio atrapalhando a minha vida!

tampa_water_softenr_hard_water_spots

Fonre: http://northwestplumbingtampa.com/28/florida-water-softeners-solve-hard-water-problem/

A foto acima retrata exatamente o que vi hoje mais cedo.  Minha louça recém-saída da máquina de lavar estava toda branca com aspecto de suja.  Os copos ficam nojentos cheios de marcas estranhas, vasilhas plásticas ficam opacas, o metal fica cheio de bolinhas de marca de água e assim vai pela casa toda. 

HardWater02Fonte: http://www.goodcleanwater.com/fyi.htm 

Além dessa cara de suja, é quase inacreditável perceber que o sabão não faz espuma.  Antes de notar os efeitos da água dura na louça, eu já tinha visto que o sabão não estava durando tanto como costumava durar.  Imaginei que a poeira da mudança combinado com o calor que faz aqui estava contribuindo para um gasto maior de sabonete no banho.  Que nada, é culpa da água dura!

Li ainda que a água dura deixa as roupas encardidas, pois o cálcio de acumula em uma camada sobre a roupa não permitindo que o sabão penetre.  Além de perder a cor original, as roupas lavadas com água dura ficam menos macias e alguns sites ainda juraram que a durabilidade delas diminui.  Como já tinha me informado do poder destruidor da água dura para eletrodomésticos como máquina de lavar roupas, meu cesto de roupa suja está transbordando!  Já disse que não ligo minha máquina enquanto essa água não for amaciada!

Se você – assim como eu – nunca viveu em um lugar com água dura, talvez não saiba – assim como eu não sabia – que existe amaciador de água!  É um trambolhão que custa caro e é instalado na entrada geral de água.  Outro dia tive um siricutico por causa de todas as chatices dessa água incluindo o estado horroroso que ela tem deixado o meu cabelo.  Reclamei tanto que Marido me apareceu em casa com um water softener.  Eba!

Water Softener_Ex corde

O princípio dos amaciadores de água é simples: retirar cálcio e magnésio da água.  Eles agem através de agentes sequestrantes que precisam ser adicionados  periodicamente de acordo com o uso da água da casa.  Também acho chatinha essa história de adicionar sal no water softener todo mês, mas dizem que dos males esse é o menor.

Alguém mais convive com água dura?  Alguma dica de sobrevivência? 

Ex corde

Read Full Post »

É quente!  Muito quente!  Um calor de queimar a pele em poucos minutos de exposição ao sol.  E o calor vai até tarde da noite.  E o sol também.  De vez em quando bate uma brisa até que forte, mas o vento é quente.  É como se tivesse alguém soltando bafo em cima da gente!  Dizem que essa é a época do ano mais quente e eu estou acreditando 100% nesse argumento.

 

Previsao doTempo de San Antonio_Ex corde*  Fonte: www.weather.com

Olhando para a previsão do tempo nos próximos dias, parece que o calorZÃO vai continuar castigando por aqui.  E as chances de chover são mínimas!  Socorro.

Readaption mode ON.

Ex corde.

Read Full Post »

O dia da entrega da mudança aconteceu conforme o planejado e quando eu acordei de manhã cedo após poucas horas de sono, me peguei desejando imensamente que a mudança atrasasse alguns dias para chegar aqui.  O cansaço estava se acumulando há dias e não tive como recuperar antes da nova sequência caótica da mudança – a entrega.

IMG-20110818-00276

O caminhão mal parou aqui na porta e a casa já foi logo invadida preparando o caminho com papelão no chão, protetores de parede e de portas.  Os homens carregando caixas não demoraram muito para começar o entra & sai.

IMG-20110818-00311

Então entendi porquê cada caixa tinha recebido uma etiqueta numerada.  É para facilitar na hora de verificar o inventário.  Cada caixa que entra pela porta da frente precisa ter o número riscado da lista.  Foi confuso conciliar quatro homens gritando números simultaneamente ao mesmo tempo que eu catava os benditos na lista.  Mas apesar de ter ficado presa riscando números o dia inteiro, achei o sistema bem organizado.  Já mudei bastante no Brasil e não lembro de ter visto nada parecido.  Talvez as companhias que eu contratei eram baratinhas demais, rs!   

Inventory List_Ex corde

Ter que tirar tudo das caixas é a parte mais chata da mudança.  É preciso redefinir espaços & reorganizar os móveis, o que dá uma canseira e chega a ser meio frustrante às vezes por causa da falta de espaço para se mover pela casa.  Já percebi também que a frustração aumenta quando bate a sensação de que quanto mais caixas eu esvazio, mais caixas aparecem para serem esvaziadas.  Então tracei uma meta: me livrar das caixas!

Caixas_Ex corde  Caixas_Ex corde (2)

Caixas  Muitas Caixas_Ex corde

*  As fotos estão péssimas por causa do meu celular.

Mal posso esperar para começar a parte divertida da mudança: decoração!

Ex corde.

Read Full Post »

Mapa da Viagem

* Fonte: www.mapquest.com

A viagem foi longa: mais de dois mil e quinhentos quilômetros de distância.  A idéia inicial era aproveitar para passear, desviar um pouco da rota e conhecer novos lugares.  Só que infelizmente não deu!  Para evitar que a nossa mudança fosse armazenada em um depósito (o que aumenta o risco de ter coisas estragadas/perdidas/roubadas), decidimos fazer uma mudança door-to-door.  O caminhão sai carregado de uma casa e vai direto até a outra para entregar a mudança.  É uma maravilha, mas tivemos que lidar com a inconveniência de não poder aproveitar a viagem de carro pela estrada.  Não dá para ter tudo, não é?

Road Trip_Ex corde

Saímos de casa na noite de domingo para dormir na casa dos nossos amigos na Virginia, há uns 40 minutos ao sul de Washington DC.  Oficialmente a viagem já tinha começado!  Tomamos café da manhã juntos na segunda-feira e nos despedimos antes de pegar a estrada.  Ai, não consigo transformar despedidas em algo bacana.  Eu não gosto da idéia de ter guardado na memória a “última vez” que estive com um amigo querido – prefiro ter os momentos juntos todos embaralhados na minha cabeça pois nenhum deles está associado com a sensação dolorida que só uma despedida tem.  Eu estava tentando fazer de conta que estava somente indo bem ali e aquilo era só um até logo.  Mas a Jô caiu no choro e só de escrever sobre esse momento eu já tenho lágrimas nos olhos.  Cultivamos uma amizade sólida entre risadas, invernos congelantes, desafios na adaptação, maridos militares, frustrações, nossas carreiras profissionais e tantas outras coisas.  É duro partir!

Mas onde eu estava mesmo?  Ah, pegando a estrada na segunda de manhã.  O caminhão estava programado para entregar a mudança na quinta-feira e isso limitou bastante o nosso tempo de viagem.  E o primeiro dia acabou não rendendo muito já que tivemos que parar para pesar o carro.  Como o governo não paga pelo frete de veículos de militares transferidos, eles tentam compensar um pouco pagando por qualquer coisa que nós carregamos no carro.  É uma compensação $$$ pela parte da mudança que nós mesmos estamos fazendo.  Dizem que vale a pena já que além do peso do carro eles ainda pagam a gasolina, hotel, comida e afins.     

Cafe Starbucks para me manter acordada_Ex corde

*  Café durante todo o percurso para me manter bem acordada!

Passamos a primeira noite em Kingsport, uma cidade do Tennesse que fica na fronteira com o sul da Virginia.  A escolha das paradas não seguiu nenhum roteiro turísticos.  A gente calculava quantas horas a gente estava a fim de dirigir por dia e escolhíamos o hotel de acordo com um único critério: aceitar animais de estimação.  Contamos com a ajuda de um site muito útil que traça rotas de viagem de acordo com hotéis que são pet friendly!  Uma mão na roda!

Hugo e Filomena na Estrada_Ex corde

*  Acima, Hugo & Filomena em uma das paradas.  Abaixo, eles quietinhos no carro!

Gatos & Plantas_Ex corde

*  E eu mencionei que trouxe minhas plantas comigo?  Praticamente um pau de arara!

O sul da Virginia e o Tennesse têm paisagens bem parecidas: montanhas por todos os lados e tudo muito verde!

Montanhas Tennesse_Ex corde 
É bem bonito de se ver e gostoso de dirigir por causa dos muitos “sobe-e-desce” ao longo do caminho.  Não é nada monótono e as horas passam rapidinho.  Muito bom!

Montanhas Virginia_EX corde

A segunda parada foi em Memphis, no ponto mais extremo ao sudoeste do Tennesse.  A cidade respira Elvis Presley, pois é lá que se está localizada a sua residência oficial.  A casa dele hoje é uma atração turística – nós não entramos, mas passeamos por toda a área em volta.  É tudo super breguinha!  Achei a cidade inteira meio pobrezinha, meio desgastada, e até meio perigosa.  Na volta de Graceland para o hotel, o GPS nos levou por um caminho muito estranho com pessoas mal encaradas bem típico de filme americano onde gangues se aglomeram, sabe?  Ainda tivemos a chance de dar um pulinho na Beale Street, uma rua boêmia bem no miolo de Memphis que me lembrou Old Las Vegas.  Turistas se misturavam com locais enquanto bandas de música tocavam ao vivo no meio da rua.  Muitos policiais emolduravam os quatro cantos do quarteirão inteiro e eu consigo imaginar o por quê.   

Chegando em Memphis,TN_Ex corde

Saindo de Memphis na manhã seguinte, encontramos o Rio Mississipi delimitando a fronteira entre o Tennesse e o Arkansas.

Fronteira do Tennesse e Arkansas_Ex corde

Assim que cruzamos a fronteira, a paisagem mudou bruscamente.  O verde e as montanhas foram substituídos por enormes fazendas.  Até que as fazendas sumiram e quanto mais ao sul a gente chegava, mais marrom e cheio de terra tudo ficava. 

On the Road_Ex corde

Estrada no Arkansas_Ex corde

Arkansas_Ex corde

O que mais me chamou a atenção foi o termômetro do carro aumentando a temperatura gradualmente conforme mais ao sul do país a gente ia dirigindo.  Marido me ligou do outro carro para dizer que lá marcava 100 graus Farenheit (em torno de 39 C), o que é um número muito alto para os padrões da área de Washington DC.  Quanto mais eu dirigia, mais alto o termômetro marcava.  Eu passei as horas seguintes assistindo a temperatura subir até 109 F (uns 43C).  O ar condicionado do carro não dava conta e eu não conseguia parar de pensar quão mais quente que aquilo o Texas deveria ser!  Ui!

108 F_Ex corde

Cruzamos a fronteira do Arkansas com o Texas e mais uma vez o visual mudou!  Dessa vez tudo estava mais seco com cara de deserto mesmo.  A cidade Texarkana tinha viadutos decorados com o desenho do estado do Texas deixando estampado para quem quisesse ver o orgulho que existe por aqui.  É algo muito interessante! 

Texas_EX corde

O plano era passar a noite em Dallas para descansar bem e pegar a estrada até San Antonio ainda na madrugada.  Mas como a gente tinha saído cedo, como o dia tinha rendido bastante e como a gente já tinha tomado alguns Red Bulls, a decisão de seguir direto foi unânime.  Foram mais quatro horas e blau de estrada gastando os meus CD’s antigos.  A viagem passava mais rápido quando eu cantarolava as músicas e então fui de Kid Abelha, Nando Reis, Marisa Monte, passando por Bon Jovi, Jack Jonhson e até chegar no Djavan.  Mas tinha hora que dava no saco mesmo!  Faz diferença dirigir sozinho ou com uma companhia no carro.  Marido e eu passamos longas horas no telefone, ele no carro da frente e eu no carro de trás.  Sim, estávamos em carro separados!  Que saco!  E já no final da viagem, eu estava topando de tudo para fazer o tempo passar mais rápido. 

Almoco na estrada_Ex corde

*  Almoço na estrada para não perder tempo!

Continuamos dirigindo pela I-35 no sentido sul passando por grandes cidades como Waco e Austin.  A próxima grande cidade já era San Antonio.

Posto de gasolina no meio do nada, TX

* Parada do xixi em um posto no meio do nada no Texas.  O calor era demais!

San Antonio Sign_EX corde

Fomos entrando no perímetro urbano lá pelas oito e pouca da noite com o termômetro marcando acima de 100F e um pôr do sol m.a.r.a.v.i.l.h.o.s.o. 

Por do Sol em San Antonio_Ex corde

Senti como se a minha nova cidade me recebesse com um sorriso de orelha a orelha.  Fiquei tão tocada com esse gesto da natureza que o interpretei como um recado de Deus me dizendo que um ciclo muito bom está começando em minha vida.  Fiz minhas orações, agradeci por ter dirigido de tão longe sem nenhum imprevisto pelo caminho e acabei lembrando que saímos da nossa outra casa debaixo de chuva.  Acho que era Virginia chorando com a nossa partida!

Por do sol chegando em San Antonio, TX

Fomos direto para a nossa nova casa que nos esperava coberta de poeira!  E a primeira noite foi com um colchão de ar no meio da sala, pois um dos ar condicionados não estava funcionando direito (desligado talvez?) e o quarto estava uma sauna!  Segundo minha mãe foi super romântico!  NOT!

Primeira noite em San Antonio, TX_Ex corde
O dia seguinte já foi o dia da entrega da mudança!  O cansaço acumulado não ajudou muito no meio do caos, mas aos poucos a gente vai se ajeitando!  Como ainda não temos internet em casa, as notícias vão vir aos poucos. 

Aguardem mais fotos já que só hoje encontramos o carregador da máquina fotográfica, hahaha!  As fotos acima são todas de qualidade duvidosa, pois são de celular.  

Ex corde.

Veja também:

PCS
O Dia da Mudança 
Dia 1: Check ✔
Dias 2 & 3: Check ✔
A entrega da mudança

 

 

Read Full Post »

Depois que o caminhão foi embora levando as nossas coisas encaixotadas, ainda passamos três dias na casa vazia consertando, limpando e preparando para o aluguel.  Nunca fui de me prender emocionalmente a lugares (e continuo não sendo!), mas o eco dos cômodos vazios da casa mexeu com as emoções.    O bom é que essa sensação estranha vai embora na mesma rapidez que vem!

Enquanto preparávamos tudo, nossas refeições eram recheadas de pesquisa na internet, revistas de renovações & decoração e muitos planos para a nova casa no Texas.  Recomeçar tem um lado muito positivo!   

Almoco Pos Mudanca_Ex corde

* Almocinho na casa vazia.

Ex corde.

Read Full Post »

O segundo dia da mudança foi muito difícil para mim por causa de uma dor de cabeça que não me largou o dia inteiro!  Qualquer barulho fazia doer mais ainda, a claridade do dia fazia meus olhos queimarem de dor, qualquer movimento brusco fazia minha cabeça vibrar e, claro, doer!  E no final do dia passei a sentir enjôos por causa da dor de cabeça.  Um horror principalmente quando sua casa inteira está sendo desmontada e não há nenhum lugar tranquilo para esperar o remédio fazer efeito.  Ah, e foi uma aventura para encontrar o bendito remédio no meio do caos.  Queria sumir! 

Fora a dor de cabeça, um arranhão no piso de madeira, a perna de um móvel quebrada e uma privada entupida (nojo!), o dia 2 da mudança foi bem. 

Do not use this bathroom_Ex corde

* Placa colada na porta do banheiro no dia seguinte!  Eca! Eca!

Eles terminaram de encaixotar o que faltava, passaram o plástico em volta de alguns móveis, enrolaram outros com o cobertor fofinho e carregaram muitas caixas para a garagem posicionando-as no jeito correto para entrar no caminhão. 

Cobertor fofinho envolta da maquina de lavar_Ex corde

Mudando_Ex corde (2)

Numa conversa com o empacotador-chefe da mudança (que descobri depois que ele também é o motorista), fiquei sabendo que aquele caminhãozão não é só para a gente – mais duas mudanças vão lá dentro!  Ahhh, eu sabia que não tinha coisa suficiente para encher aquele bichão!  Ele ainda me disse que o que faz parecer muito são as coisas de vidro, pois elas precisam ser embaladas individualmente e poucas peças são colocadas por caixa.  Além disso, eles colocam papel no fundo e na lateral das caixas para garantir que as peças de vidro não quebrem.  Tá explicado porque tanta caixa!

O segundo dia acabou com um inventário das nossas coisas, etiquetinhas em cada caixa e tudo pronto para ser colocado dentro do caminhão no terceiro & último dia de mudança.  Nós passamos mais uma noite na casa dos nossos amigos queridos salvadores da pátria!

Mudando_Ex corde

O dia 3 foi mais longo pois uma série de mini-imprevistos aconteceram.  Nada sério, mas coisas como chamar um empresa para desconectar a porta da geladeira porque a empresa de mudança não se responsabiliza por esse tipo de trabalho.  Foi hilário porque depois de esperar o profissional-desmontador-de-porta-de-geladeira chegar, ele logo concluiu que não sabia desmontar a porta.  Acabei descendo para resolver um outro pepino lá embaixo e quando voltei para cozinha o Marido estava ensinando o “profissional” da geladeira a desconectar a porta com a ajuda de um video do You Tube. Hahaha!  O “profissional” ficou tão sem graça que saiu de fininho sem nem pegar as assinaturas necessárias nos documentos oficiais/militares!     

Dessa vez eram 5 pessoas entrando e saindo de casa em um ritmo frenético literalmente carregando tudo que estava na frente.  Os gatos entraram em uma crise de nervos e começaram a urrar feito dois leões famintos.  Três dias trancados no banheiro não deve ser muito divertido!  Eu estava exausta e saboreando uma mistura de sentimentos muito doida.  Era ótimo ver a parte inicial da mudança acabar, mas era ruinzinho ver a casa esvaziando.  O coraçãozinho doeu e uma sequência de memórias passou como um filme em minha cabeça.  Mas é assim mesmo, uma janela se fecha para uma porta poder se abrir.

Duas cabeças cansadas verificaram tudo, confere, confere mais uma vez, confere de novo para somente então assinar a papelada.  Marido distribuiu os envelopes verdes com uma gorjeta para cada um dos moços e o sorriso deles me fez sentir tão bem!  Pedi pro moço-chefe-motorista dirigir com cuidado e ele sorriu me respondendo que sempre tem Deus acompanhando ele.  Que assim seja!  Nos despedimos e desejamos mutuamente um “até lá!”.

Onde é lá?, você deve tá se perguntando. 

Texas, the lone star state!

Ex corde.

Veja também:
PCS
O Dia da Mudança
Dia 1: Check ✔ 

Read Full Post »

Older Posts »