Feeds:
Posts
Comentários

Archive for dezembro \31\UTC 2011

Não faço e nem nunca fiz resoluções de Ano Novo porque elas não funcionam comigo.  Entendo que para muita gente o simbólico último dia do ano pode funcionar como motivação para colocar em prática uma idéia, uma atitude ou criar um novo hábito.  Mas tenho me dado conta, cada vez mais e mais, de que hoje é somente mais um dia como outro qualquer.  É igual ao Natal, ao meu aniversário e outra data comemorativa que eu tinha aprendido a super valorizar desde criança.  Continuo curtindo cada uma delas juntamente com os seus significados, mas eu não carrego mais o peso de um piano nas costas para que uma lista de coisas aconteçam para – somente então – aquele dia ser perfeito.  Gera ansiedade e expectativas.  Em algumas pessoas pode até gerar um certo sofrimento desnecessário quando a realidade não é exatamente igual ao que foi esperado.  Talvez por isso há tanta gente melancólica nessa época do ano.

As minhas resoluções de ano novo acontecem de acordo com as minhas motivações pessoais dentro do meu tempo.  Eu posso facilmente começar uma super dieta quinta-feira de tarde ou começar a malhar sábado de manhã.  Se eu estiver sentindo muita vontade de fazer algo acontecer, eu não espero o próximo ano chegar.  Eu poderia até estabelecer uma nova meta para 2012, mas eu não consigo garantir que vou conseguir cumprir e daí, pimba, me frustro.  Quando eu desejo muito algo e acabo colocando na minha lista de resoluções de ano novo sem estar pronta para fazer acontecer, eu estou me boicotando.  Vou me frustrar por não alcançar aquela meta, vou me sentir incapaz, culpada e mal.  Por isso acho mais importante estar bem comigo mesma do que viver correndo atrás de promessas.  As minhas necessidades vão falar mais alto e vão acabar acontecendo com o passar dos dias, semanas e meses.  Sem cobranças.

E é nesse contexto que eu desejo a você um 2012 mais leve.  Desejo que as suas metas sejam alcançadas respeitando o seu limite & o seu tempo, não porque alguém um dia estabeleceu que isso ou aquilo deve acontecer agora. Desejo que você consiga perdoar todos aqueles que pisaram na bola não porque perdoar é a coisa certa a ser feita, mas porque você não precisa carregar esse peso.  Deixe para lá por você.  Desejo que você tenha muitos jantares ao longo de 2012 dignos de uma ceia de Natal, porque cozinhar dedicadamente para quem se ama e dividir a refeição com amigos deveria ser uma prática mais comum.  Desejo que você encontre o prazer em fazer uma atividade física e que “o peso ideal” seja apenas uma consequência do novo hábito adquirido e não mais uma busca que escraviza.  Desejo que você realmente compreenda que comer saudavelmente garante uma vida longa e mais tempo de vida com saúde para viver mais intensamente.  Desejo que você encontre a alegria de celebrar as próximas 365 meia-noites com a mesma intensidade que você provavelmente vai celebrar hoje mais tarde.  Desejo que atos de gratidão e caridade seja algo corriqueiro ao longo do novo ano.  Desejo que você não deseje saúde e prosperidade aos amigos somente hoje, mas que expresse isso verbalmente sempre.  Desejo que você faça constantes restrospectivas, não apenas na virada do ano.  E que as retrospectivas gerem reflexões.  E que elas gerem atitudes melhores, se assim for necessário.  Desejo que você consiga viver cada dia da sua vida como se fosse o último dia do ano, porque no final das contas a gente nunca sabe quando o nosso último dia por aqui vai chegar, não é mesmo?  Desejo que cada manhã tenha a mesma energia e vontade de recomeçar que o dia primeiro de janeiro.  Feliz Ano Novo para você que me lê!  Feliz dia novo não somente hoje, mas todos os dias do nosso calendário que está prestes a recomeçar.

Ex corde.

Read Full Post »

Essa plantinha estava super acostumada a literalmente congelar durante o inverno.  No ano passado, a água da terra virou gelo expandindo e aumentado de volume até rachar o vaso.  Apesar de parecerem mortas, elas sempre voltam a florir com a chegada da primavera.  É um ciclo quase mágico!

Flores em Dezembro_Ex corde

Acontece que essa foto eu tirei hoje pela manhã no meio do inverno.  A mesma plantinha que deveria estar congelada nessa época do ano, agora está florindo.  Inacreditável!  O forte calor que faz no Texas durante o verão definitivamente não é agradável, mas estou começando a constatar que é uma compensação razoável para se ter invernos amenos.  Enquanto eu registrava as flores sorrindo para a foto durante o banho de sol, eu ouvia crianças brincando de bola na rua sob um céu estalando de tão azul.  Eu simplesmente adoro um dia frio, mas não posso negar que até agora esta é a grande vantagem de morar no sul: dá para continuar com um ritmo de vida bem ativo o ano inteiro sem muito esforço.

E viva o inverno quentinho do Texas!

Ex corde.

Read Full Post »

Good Life

Quando ouço essa música, tenho vontade de fechar os olhos e me deixar levar.  Porque nem sempre as coisas são do jeito que a gente gostaria que fosse, mas essa vida pode ser muito boa!  Ora bolas, essa vida É muito boa!

Dá o play e viaja comigo ;)

Ex corde.

Read Full Post »

Bom, o peso da culpa por ter comido tanto o mês de dezembro inteiro ainda é um problema.  Mas as calorias extras e os quilinhos a mais eu sei como lidar: fechando a boca e fazendo atividade física. 

Essa semana voltei ao ritmo mais forte de academia com toda a vontade do mundo de destruir o meu muffin top que insistiu em pular fora da calça jeans no final de semana.  E como eu ainda não descobri uma aula que me faça vomitar suar tanto de esforço físico, eu continuo fã de carteirinha do spinning.  Sempre faço uma aula que tem um horário super inconveniente – meio dia e quinze – mas que tem um instrutor com um treino excelente.  De todas as aulas que já fiz até agora, a dele é de longe a melhor e por isso, só por isso, eu quebro o meu dia bem no meio para suar por sessenta minutos com ele.  Só que hoje cheguei lá e não era ele.  Pensei em dar meia volta, mas aí lembrei das minhas bochechas arredondadas nas fotos de Natal e resolvi fazer a aula dela. 

Subi na bicicleta e fui me preparando para a aula até perceber um computador em cima da caixa de som – a instrutora tinha um Mac Book pronto para tocar a sua compilação de músicas para aquele treino.  Fiquei animada com a dedicação dela, pois instrutor de spinning que se preze precisa planejar a sua aula em cima das músicas.  Exemplificando: músicas mais lentas são ótimas para alongamento, parte mais agitadas para pedalar mais rápido, batidão para aumentar a carga e subir um ladeirão.  Sabe?  Dei uma chance para ela e abri o meu coração na primeira música.

A seleção musical era fantástica, o problema é que ela criou uma música que durou exatos trinta minutos.  A aula teve então apenas duas músicas, minha gente.  Ela poderia ser uma excelente DJ, pois uma música acabava e a outra começava sem eu nem sentir.  Quer dizer, eu senti as pernas arderem e a respiração ofegar.  Com o volume alto, eu poderia falar coisas e ninguém ouvir; assim então comecei a xingá-la em português.  Surtei.  Mas aí me dei conta de que a desgraceira do espanhol é tão parecido que o bom & velho pê ú tê á poderia ser compreendido por algum hablante nesta cidade bilíngue.  Reprimi a vontade.    

Rolou uma única e minúscula chance de recuperar o fôlego entre uma música e outra.  Eu estava ensopada de suor, com o batimento cardíaco acima dos 170 e com as pernas tremendo quando decidi trapacear dali para frente.  Quando ela mandasse aumentar a carga, eu ia só fazer de conta que aumentava na maior cara dura.  Pronto, já estava decidido o meu plano de ataque para sobreviver a segunda metade da aula.

Foi então que, durante a pausa de alguns milésimos de segundo, a instrutora lançou um truque psicológico safado.  “O que vocês vieram fazer aqui mesmo?”, ela perguntou com um tom super desafiador.  Vaaacaaaaa!!!  Minhas bochecas redondas vieram na minha cabeça.  Vaaaacaaaa!!! Pensei logo nas minhas gordurinhas pulando fora da calça jeans.  Vaaacaaaa!!!  Peraê.  Parei e me perguntei como era vaca em espanhol mesmo?  Queria chorar porque certamente alguém tinha ouvido e entendido aqueles xingamentos sem noção.

“Sua mente é mais forte que o seu corpo”, ela acrescentou antes de dar play na segunda compilação musical de trinta minutos.  Eu continuei no mantra mental da vaca até a aula acabar porque a psicologia barata dela estava surtindo efeito.  Eu não consegui trapacear.  Só pensava que não queimaria as calorias extras se literalmente não suasse a camisa.  As gordurinhas continuariam saltando, ó céus.  Pedalei até não aguentar mais e cheguei até o final com a língua arrastando no chão, mas sem desistir.  Se o meu querido instrutor não voltar para o horário dele, vou perder esse peso da comilança natalina bem rapidinho.  Mais rápido do que eu estava imaginando. 

E você tem algum truque para essa época do ano cheia de culpas gastronômicas?  Divide aí.

Ex corde.

Read Full Post »

DSC_0226_thumb[1]

Ex corde.

Read Full Post »

Glühwein

Hoje enfrentamos o trânsito caótico pré-Natal – e as muitas pessoas no supermercado disputando perus – para comprar os ingredientes da ceia do dia vinte quatro & do almoço do dia 25.  No meio do clima festivo que paira no ar, dei de cara com uma prateleira cheia de glühwein enquanto esperava o Marido pegar as garrafas de moscato que vamos levar para a casa dos nossos amigos amanhã.  Era glühwein mesmo e eu quase não acreditei!  Trouxe uma garrafa para casa sem nem saber se seria um glühwein bom ou não.  

Glühwein_Ex corde (3)

O rótulo é lindo! Viajei na memória dos mercados europeus de Natal que visitamos no ano passado e dos muitos glühwein que provamos.  A versão européia do quentão (vinho quente com especiarias) era vendido ao ar livre em canecas perfeitas para ir descongelando de golinho em golinho.  Bebemos muitos em vários países diferentes e por isso trouxemos várias canecas para casa como souvenirs.  Para curtir o glühwein de hoje, escolhi uma caneca de Budapeste, enquanto Marido pegou uma de Viena.  E era uma delícia! 

Glühwein_Ex corde

Com o friozinho que faz lá fora, a lareira foi acesa para ajudar a esquentar.  Hugo adora assistir o fogo e assim logo se acomodou com a gente.

Glühwein_Ex corde (2)

Bebericamos o glühwein relembrando dos bons momentos daquela viagem e planejando as próximas.  Ah, sem falar dos filmes & músicas natalinas que deram o tom perfeito para recepcionar a véspera do Natal!

A Very Merry Christmas To All And To All A Good Night!

Ex corde.

Read Full Post »

Qual o seu favorito?

Entreguei um livro de receitas de cookies para o Marido e pedi que ele escolhesse uma receita favorita.  Entreguei também post it para ele marcar a página facilitando a localização dela.  A idéia era fazer um tipo de cookie com ingredientes que ele gostasse muito, já que eu ando repetindo essa com tanta frequência e ele já não aguenta mais chocolate.

Recebi o livro de volta assim:

Receita Favorita de cookie_Ex corde

Me ferrei!

Ex corde

Read Full Post »

Older Posts »