Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Música’

Em Francês?

Hoje dei carona para o Marido pegar o carro dele na concessionária e fiquei presa no engarrafamento bem na hora do rush.  Trânsito devagar, um calor dos infernos que o ar condicionado mal dava conta e eu tentando me distrair com o rádio fugindo das propagandas que pertubam o meu juízo.

Acho os Estados Unidos um mar de contradições no quesito diversidade cultural.  Ao mesmo tempo que existe gente dos quatro cantos do mundo é extremamente raro ouvir alguma música no rádio que não seja em inglês e/ou americana.  A exceção está em estações especializadas ou nas muitas rádios mexicanas que predominam aqui no sul do Texas. 

Foi então que quase nem acreditei e aumentei o volume para ouvir a música que mandava beijos e mais beijos em francês.  O ritmo nada comum chamou logo a atenção e os meus ouvidos agradeceram uma língua estrangeira diferente – porque espanhol por aqui não é tão foreign assim, né gente!  Esqueci até do trânsito caótico em que eu estava agarrada!     

Ex corde.

Anúncios

Read Full Post »

A brasilidade de Michel Teló

Minha prima me apresentou para ele em novembro do ano passado através de um vídeo do Youtube.  Sou meio aversa à dancinhas provocativas e por causa da sobrecarga de sensualidade desnecessária que sempre recebi quando morava no Brasil, fiquei com o pezinho meio atrás quando ela me mostrou a coreografia.  Parece que o hit já era sucesso absoluto no Brasil.  Meses depois, como de praxe, meus pais trouxeram na mala várias revistas brasileiras e uma delas trazia Teló na capa para anunciar a extensa matéria que recheava a revista.  Li tudinho.  Aos poucos tenho lido também muitos artigos online e assistido vários vídeos sobre como a música se espalhou pela Europa através dos jogadores (brasileiros) de futebol.  É impressionante como várias culturas, línguas e diferentes países curtem o “Ai, se eu te pego” e cantam sem nem saber o que a letra quer dizer.

Mas aí é que tá o segredo: não é necessário entender o significado das palavras para poder apreciar um ritmo harmônico, alegre e contagiante.  Quantas músicas gringas bombam no Brasil e muitos brasileiros cantam o refrão em um inglês capenga se divertindo horrores sem saber o que significa aquilo?  Similarmente ao que está acontecendo com a música de Teló, as músicas americanas que fazem sucesso no Brasil não representam completamente a cultura daqui.  Morando no sul dos EUA, eu consigo perceber que só uma parte é representada internacionalmente.  Por mais que Teló não represente a cultura brasileira por inteiro e levante críticas sobre a qualidade do seu trabalho, eu acredito sim que representa uma parte da nossa brasilidade!

Atenção para o fato de que a letra da música deixa a desejar.  Ao retratar um lugar comum na realidade machista brasileira – onde o simples fato de uma mulher ser “a mais linda” dá ao homem a sensação de que é permitido fazer insinuações sexuais para ela (“Ai, se eu te pego” e eu pergunto, se pegar vai fazer o quê?) – Teló perdeu a chance de demonstrar que sutileza & elegância existem numa paquera na balada de sábado.  Mas mesmo assim, eu não posso deixar de constatar que os arranjos musicais são únicos, são brasileiros, são nossos!  Sem nem perceber, meu corpo começa a balançar para lá & para cá toda vez que ouço a música de Teló.  Aos poucos fui deixando de lado a minha aversão à coreografia levemente provocativa e me permitindo apreciar o som.   Aí tenho lembranças das noites em que eu (tentava) dançava um forrozinho universitário no friozinho gostoso do inverno de Visconde de Mauá depois de um dia inteiro nas cachoeiras.  Era um programa brasileiríssimo e que garantia momentos de muita diversão da maneira mais bicho-da-terra possível.  E esse sonzinho bom brasileiro é que tem encantado ouvidos mundo a fora trazendo diversão.  Mesmo achando esteriótipos algo perigoso, eu não acho de todo mal ter a cultura brasileira associada com algo bom, divertido e alegre.  Basta ver o comercial de cruzeiros da Norwegian (0:22) para perceber que a abordagem pode ser positiva mesmo quando se trabalha com esteriótipos.

Ainda não ouvi falar que “Ai, se eu te pego” está fazendo sucesso nas bandas americanas em que eu moro.  Talvez porque o futebol não tenha muito espaço na mídia nem no coração dos americanos.  Talvez seja porque eu mal tenho saído de casa ou talvez seja só uma questão de tempo.  Mas mesmo que não chegue por aqui, acredito que já existe um motivo para eu me sentir bem ao ver um pouco da minha cultura sendo dissiminada internacionalmente.  Porque não são só as passistas com peitos e bunda de fora que representam o Brasil no estrangeiro (taí uma parte da minha cultura que sempre me trouxe um certo desconforto).  Música é a combinação de sons harmônicos que representam uma cultura.  E música é arte.  Nesse caso, uma arte brasileira. 

Teló manifesta amplamente a sua autêntica brasilidade tanto na letra (machismo brasileiro imperando absoluto) como na música (ritmo contagiante exclusivamente brasileiro).  Apesar do lado não tão positivo dessa expressão cultural, é impossível negar a propagação mundial da nossa brasilidade através de Teló.  Essa brasileira que vos escreve (e que vê o Brasil de fora há anos)acha muito legal ver estrangeiros sendo contagiados pela nossa brasileirice!

E você ama ou odeia o hit de Michel Teló?

Ex corde.

Read Full Post »

Good Life

Quando ouço essa música, tenho vontade de fechar os olhos e me deixar levar.  Porque nem sempre as coisas são do jeito que a gente gostaria que fosse, mas essa vida pode ser muito boa!  Ora bolas, essa vida É muito boa!

Dá o play e viaja comigo ;)

Ex corde.

Read Full Post »

O hit do momento!

O hit do meu momento!  =)

Pode avançar o vídeo para o minuto 1:00 que é lá que a música começa.

Boa segunda-feira para vocês!

Ex corde.

Read Full Post »