Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘NAPLEX’

Depois de muito estudar, semana passada eu finalmente fiz o Naplex (North American Pharmacist Licensure Examination)O resultado saiu segunda-feira e olha só que belezura: PASSEI!  Todo mundo junto: ÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊ :)    

Congratulations by Hubby_Ex corde

*  Rolou uma surpresa preparada pelo Maridão com direito até a faixa no meio da sala! ♥

E eu ainda estou processando o fato de que essa etapa gigante foi vencida por mim!  É que tive tantos obstáculos neste último ano que, por muitas vezes, a idéia de passar na prova nacional de licenciamento para farmacêuticos americanos me parecia algo quase utópico. 

Estudando na Biblioteca da Base Militar  * Estudando no melhor lugar ever: sala privativa & silenciosa da biblioteca da base militar.

Sabe aquelas fantasias que às vezes a gente idealiza tanto?  Tô tão perto de transformar uma delas em realidade que às vezes fica difícil de acreditar.  Obviamente que nada está acontecendo como um passe de mágica ou no estalar de dedos! 

More Study Notes_Ex corde  *  Estudar fazendo anotações é muito eficaz, mas dá um trabalhão! 

Tive (e ainda tenho) que ter muita dedicação, muito trabalho, muita paciência & persistência, muito foco, um saco enorme para os longos dias de horas ininterruptas de estudo, e claro, acreditar que vai valer a pena.   

Estudando na Biblioteca Publica   * Estudando na biblioteca pública que proporciona o pior ambiente de estudo que já vi.

Sempre soube que o negócio não ia ser fácil.  Qualquer farmacêutico estrangeiro fica desanimado ao se deparar com as instruções para exercer a profissão nos EUA.  Pô, qualquer pessoa não-farmacêutica cansa só de ler a longa lista requerida.  E eu não fui diferente, mas ao mesmo tempo também nunca consegui cogitar a possibilidade de não tentar. 

Estudando  * Estudando em casa enquanto o sol brilhava lá fora.  É depressivo, acredite!

Sempre soube das dificuldades desse processo, mas não sabia que isso tudo ia me trazer um conhecimento pessoal valioso.  Fui descobrindo, aos trancos & barrancos, que a minha profissão faz parte da minha identidade.  Claro que eu sempre tive uma noção de que parte de quem eu sou engloba a minha carreira profissional, mas eu só pude constatar como a falta do meu trabalho me afeta quando eu não pude mais trabalhar na minha área.  Curiosamente, a idéia de não ter que trabalhar era muito legal a princípio.  Tive a oportunidade de me adaptar na cultura local no meu tempo e eu pude fazer tudo aquilo que não conseguia antes por estar sempre ocupada demais com o trabalho.  Só que chegou uma hora que isso cansou e eu já estava muito bem adaptada, obrigada.  O meu processo profissional já estava em andamento quando todo o tempo livre do mundo para fazer o que eu quisesse caiu numa mesmice sem um objetivo concreto.  Foi quando eu passei a me dar conta do quanto a minha profissão é parte até da minha personalidade.  Meu paciente Marido levantou essa questão quando eu comecei a trabalhar para acumular as horas práticas requeridas pelo processo.  Ele teve o prazer de conviver por um ano com uma pessoa mais equilibrada ou, como dizem por aqui, a well-rounded person.  Ele percebeu o impacto que a minha profissão tem na minha sanidade, no meu humor, na maneira como eu me vejo, na minha relação comigo mesma e na minha relação com ele.  E é exatamente isso mesmo! 

Cafe e Canetas Coloridas_Ex corde  * Sendo motivada pelo café e muitas canetinhas coloridas (não me julguem, haha!). 

E se você tiver se perguntando o que falta para esse processo acabar, falta a parte legal da coisa.  Legal, de lei, legislação.  Como os estados americanos possuem leis diferentes, o processo de licenciamento é dividido em duas provas: conhecimentos clínicos (NAPLEX de nível nacional) e legislação farmacêutica (nível estadual).  Para exercer a profissão em diferentes estados americanos é necessário passar na prova de legislação referente ao estado em que o profissional deseja trabalhar.  Já comecei a folhear a legislação, mas estou usando a maior parte do meu tempo para dar uma organizada na vida.  O intensivão de estudos deixou todo o resto bagunçado e o blog abandonado!  Aos poucos vou me refazendo.  Guardei os meus livros e anotações com um sorriso enorme no rosto por saber que não precisarei mais deles.  

Anotacoes no espelho do banheiro_Ex corde  *  Espelho do banheiro repleto de anotações importantes! 

Comecei a retirar todas as minhas anotações de estudo que estavam coladas pela casa quando lembrei de registrar com fotos mais uma parte dessa trajetória.  O tempo apaga muitos detalhes da minha memória e eu acho bacana a idéia de rever um pouco do meu esforço alguns anos lá na frente.

Hugo e eu_Ex corde  *  Decorando o calendário de vacinações do CDC na companhia de Hugo :)

E as muitas fotos ao longo deste post são os vários registros em momentos diferentes de estudos ao longo dos últimos meses.  Registros mal feitos em um celular ferrado geralmente naquelas horas em que faltava concentração para continuar estudando ou quando a movimentação lá fora era mais interessante do que os meus livros.  Lembro exatamente do meu sentimento quando cada foto foi batida. Não consigo descrever ao certo como me sinto ao olhá-las novamente agora que sei que passei nessa prova, só sei que é uma sensação MUITO BOA!!

Sala Privada de Estudos na Biblioteca Publica_Ex corde  *  Estudando onde ninguém sabe como se comportar em uma biblioteca pública!

E os muitos emails e mensagens inspiradoras que eu recebi de amigos, familiares & conhecidos foram tão importantes que, naquela manhã, eu realmente estava me sentindo bem confiante.  Vocês são especiais demais!!

Study Notes  *  Noites a fio de estudo de segunda a segunda agora fazem parte do passado!

Para aquela torcida silenciosa de sempre, aqui vai o meu muito obrigada!   

E vamos que vamos que o negócio ainda não acabou =)   

Ex corde.

Sobre a prova de equivalência para farmacêuticos estrangeiros ~ Foreign Pharmacy Graduate Equivalency Examination (FPGEE).

Read Full Post »

Estudando para o NAPLEX

Estudando para o Naplex

Cá estou eu mais uma vez agarrada nos livros.  Terminei as horas práticas de trabalho na farmácia que eram parte essencial no processo de equivalência de currículo.  Quem me acompanha sabe que como farmacêutica brasileira, eu decidi encarar a longa caminhada para me licenciar nos EUA e exercer a minha profissão.  Posso simplificar dizendo que o processo engloba duas grandes etapas: equivalência de currículos e licenciamento, nesta ordem.  Tem mais detalhes sobre o processo aqui e aqui.

O órgão americano equivalente ao nosso Conselho de Farmácia já me reconhece como farmacêutica formada, mas eu ainda preciso me licenciar.  Neste momento, eu me encontro junto com qualquer outro aluno de farmácia formado por uma universidade americana que precisa correr atrás da licença e enfrentar o NAPLEX (North American Pharmacist Licensure Examination).  Posso dizer que o NAPLEX está para os farmacêuticos nos Estados Unidos assim como a prova da OAB está para os bacharéis de Direito no Brasil. 

Minha supervisora na farmácia insistiu muito para que eu continuasse trabalhando, mas eu decidi parar de vez por vários fatores.  A situação do meu joelho, que se agravava a cada dia com as longas jornadas de trabalho, e as terríveis dores foram motivos mais do que fortes para parar!  Mas eu ainda consigo pensar em outras razões, como a minha total falta de identificação com a política de trabalho da empresa combinado com a necessidade de focar as energias para aquilo que realmente importa agora – a bendita licença.  Então parei!

A pausa foi muito boa não só para a recuperação da minha saúde física (o joelho está cada vez melhor, obrigada!) mas também foi maravilhosa para a minha saúde mental.  O estresse no trabalho era grande.  Com as últimas viagens e a visita dos meus pais & familiares eu posso dizer que voltei ao meu estado “normal”, se é que isso existe, rs!  Sei que agora tenho energias suficiente para encarar a maratona de estudos do NAPLEX.

Deixar a rotina leve dos últimos meses de lado e começar a estudar pesado novamente exige muita disciplina.  É um exercício de responsabilidade de mim mesma para comigo mesma, sabe?  Ninguém vem me cobrar, fiscalizar ou ter certeza de que eu estou fazendo tudo direitinho.  E por onde começar?  Qual caminho seguir?  É difícil não ter muitos parâmetros.  Mas nas horas em que acho que estou me perdendo, vem sempre um anjinho disfarçado de gente para me pegar pela mão e me colocar no rumo. 

Primeiro foi uma farmacêutica que eu trabalhei junto na farmácia.  Ela é o típico esteriótipo do americano não só fisicamente, mas também com aquela idéia de gente “fria” que a gente tem deles, sabe?  Na sua “frieza” ela me ensinou muito, dividia seu almoço, trazia bolinhos para o trabalho e se importava comigo.  É muito interessante perceber como o carinho não necessariamente existe somente na forma que nós brasileiros conhecemos!  E ela me emprestou por tempo indeterminado um livro super caro que é a base dos estudos do NAPLEX.  Obrigada, Nancy!

Aí quando eu me perdia novamente, veio a Thai.  Também brasileira, também farmacêutica, também enfrentando essa maratona toda.  Ela tirou a licença dela no último mês e me deu o material mais novo de um curso preparatório para o NAPLEX – ela me deu o equivalente a mais de 700 dólares, minha gente!  Além de me mostrar qual caminho seguir, ela ainda me fez economizar muito.  Muito obrigada, querida!

O material do curso que ganhei de presente inclui 65 vídeos online que compreendem 5 dias intensos de aulas extremamente direcionadas para o teste.  Passo horas do dia com o headphone na cabeça ouvindo as aulas e acompanhando com o livro do curso.  Vou ainda complementando a matéria com o livro da Nancy que oferece explicações mais detalhadas.  Como se vê pelo tamanho dos livros na foto acima, tenho muito o que estudar! 

Apesar de tudo, sei que vou aproveitar os intervalos dos estudos para preparar alguns posts, incluindo os posts recheados com fotos da última viagem para Paris e Roma.  Aguardem!

Ex corde.

Read Full Post »